Páginas

domingo, 13 de março de 2011

Restaurante Tô na Mata!

Ontem tinha tudo para ser um dia meio depressivo. Estou com TPT (Tensão Pré Trabalho). Afinal, ante-penúltimo dia de férias. É engraçado como a gente conta os dias pra entrar, mas acaba no finzinho contando os dia pra voltar. Mas os ânimos são outros.

Passei um dia meio em despedida. Internet de bobeira durante a manhã. A tarde levar o cachorro no pet shop. Mas a noite tinha que ser um pouco mais refinada. Foi quando aceitei a proposta de Edsong, me chamando para tomar um "guaraná" no referido restaurante, em Vargem Grande RJ.

Meu amigo me conhece. Já na frente do lugar me senti muito à vontade. Eu sempre soube que o duro de se morar no Rio de Janeiro é aguentar musica ruim (pagode, funk, tô não, posso não, minha mulher não deixa não) em tudo quanto é lugar. Temos a Zona Sul sim (botafogo, copacabana, ipanema e etc), mas além da relativa distância, os preços praticados não são muito justos.

O "Tô na mata" tem o agradabilíssimo ambiente rústico, permeado de verde e natureza por todos os lados. Um palco artesanal abrigava na noite uma bandinha rock pop que consegue higienizar nossos ouvidos pós-carnaval. O atendimento foi excelente, embora desconfiei ter sido atendido na maioria do tempo por uma das donas do local. Realmente, dono não vale. Mas pela harmonia do ambiente é visível que os funcionários também são corteses.

A casa possui boa acústica num amplo e democrático espaço. mesas mais próximas ao palco para curtir mais de perto o som ou mesas mais afastadas, para uma conversa ou confraternização mais reservada. O único problema realmente são os mosquitos depois de um determinado horário. Mas além de isso ser um problema apenas num certo período do ano, não podemos culpar a casa por isso, insetos são problemas em Vargem Grande. Basta passar um repelente nas pernas antes de sair de casa.

Os preços são salgados sim! Mas justos! Quer beber barato vai pro Terreirão. Pede uma cintra no boteco mais próximo e uma batata frita catarrenta - Isso mesmo, vende no terreirão uma batata frita com um molho verde a base de tempero e pimentão.

Além disso, um barzinho tão bem decorado, aconchegante, com atendimento de qualidade tem um custo de manutenção mais elevado que um boteco na comunidade.

Só faço uma breve crítica a casa. Faltam bebidas mais refinadas e compatíveis ao local. A cerveja tá bem escolhida (bohemia, original e as normais). Não tenho também nada contra a boa cachaça, mas na noite que fui o restaurante não tinha teckila (falha grave), nem as cervejas uruguaias constantes no cardápio. Vale também acrescentar a carta do bar, Frangélico, Absinto (óbvio) e no mínimo Jack Daniels. A carta de vinhos está de bom tamanho, basta manter o estoque.

E agora um pitaco publicitário. Façam um cardápio com mais carinho. É legal chegar num ambiente rústico e conferir o que vai consumir num belo cardápio estilizado e envelhecido.
Falta também rechear a casa com a logomarca por todo o local. Imagina aquele pessoal distraído que entra, gosta, quer voltar, mas fica olhando em volta e se perguntando "Qual o nome daqui mesmo?"

Preciso também elogiar o site. De muito bom gosto e muito bem confeccionado. Parabéns ao Webdesign. Um radiozinho virtual tocando músicas de muito bom gosto, uma linguagem visual limpa e bonita. Um bom portfólio de fotos (vale a pena dar uma atualizada de vez em quando) e informações pertinentes.
Mas aí vai outra dica. Uma câmera virtual e alguém tirando fotos das mesas e dos clientes (quando autorizado óbvio) e a divulgação no site. As pessoas sempre vão frequentar o site para baixar suas fotos ou simplesmente conferir como ficaram, e estarão sempre cientes das novidades e fomentando a vontade de voltar. Um blog seria uma boa saída para implementar essa idéia.

As bandas presentes no site ao meu ver são de muito bom gosto e enriquecem o lugar. Para quem não as conhece basta conferir os videos direto do site do "Tô na mata" (outro excelente recurso).
Mas como excesso de qualidade nunca é demais, recomendo meu nobre amigo, músico e artista Dock Nunes. A casa podia fazer um teste com ele e tenho certeza de que não iria se arrepender. Ele sozinho já é atração o suficiente, e ainda conhece muita gente do ramo, nunca deixa de ser um excelente contato para uma casa do perfil do "Tô na mata".

Resumindo: Pintou a vontade de se afastar da musica popular carioca (pagode mela cueca e funk), beber com qualidade, num ambiente cheio de energia positiva, ar puro e natureza purinha, dê um pulinho no "Tô na mata". Aí vão os dados. Eu recomendo:

Estrada do Pacuí, 880, Vargem Grande.
(21) 2428-3504
(21) 7852-5896
tonamata@tonamata.com.br

2 comentários:

  1. hi...
    Me senti agora!
    Hehe...
    Obrigado pela lembranã e pelo carinho cara!
    ^^

    ResponderExcluir